Documentos

Estos son textos son reflexiones personales de algunos de acá, del grupo o de amigos sobre cosas que se van viendo u oyendo. No es algo que ocurra "dentro" de la Asamblea, sino "afuera".
Ademas hay textos que
son los que van presentando (y hay muchísimos) sea para el equipo de trabajo, sea para los que están en la asamblea, sólo los más representativo

Documento sin título

opiniones

Análisis del Discurso Inaugural de Benedicto XVI

CONFERÊNCIA DE APARECIDA O DISCURSO INAUGURAL DO PAPA BENTO XVI SÍNTESE E DESTAQUES, Agenor Brighenti

Discurso de Bento XVI Abertura da V Conferência, J. B. Libanio, Anotações provisórias

O fundamental e o secundário no discurso do papa Bento XVI, Jung Mo Sung

BENEDICTO XVI Y LA OPCIÓN POR EL POBRE, Gustavo Gutiérrez

Una teología debe partir y llegar al Reino de Dios, Eduardo de la Serna

A Mensagem de Aparecida: Sonho e cálculo Eduardo Hoonaert (historiador)


Trabajos

Discípulos y discípulas de Jesús. Aportes el Nuevo Testamento

Presbiteros

Una Iglesia para América Latina y El Caribe Seminario latino-americano de Teología Pablo Richard


Propuestas Para el Ver

Unida tematica 1


Propuestas para el actuar

unidad tematica 2


propuesta de hilo conductor del documento final

Un Hilo Conductor (2)


Documentos

MENSAJE DE LA V CONFERENCIA GENERAL A LOS PUEBLOS DE AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE


Documento sin título

A Mensagem de Aparecida: Sonho e cálculo
Eduardo Hoonaert (historiador)


Um discurso bem articulado - nós sabemos - se constrói por meio de uma boa imbricação entre sonho e cálculo. É bom sonhar, mas é igualmente necessário calcular como chegar lá. Cabeça no alto e pés no chão.

Na Mensagem que os bispos reunidos em Aparecida dirigem aos povos do continente e do Caribe não falta sonho. Basta ver os pontos de exclamação: ‘Sigamos ao Senhor Jesus!’; ‘Somos uma comunidade de amor!’. O texto termina com o sublime sonho de uma América da esperança: ‘Que este continente da esperança seja também o continente do amor, da vida e da paz!’. O entusiasmo é tanto que o texto chega a dizer que estamos diante de uma ‘grande missão continental’, e que há ‘um novo impulso que brota a partir de hoje em toda a América Latina e o Caribe sob o sopro de um novo Pentecostes’.

Tudo bem. Mas a cabeça fria pergunta: como realizar esse sonho tão bonito? E aí a Mensagem falha redondamente, não diz nada. Ela se limita a pedir um voto de confiança no seu potencial de mudança, sem dar nenhuma garantia. O texto parte do pressuposto de que a igreja católica possua o dinamismo necessário para realizar o lindo sonho latino-americano. ‘Colocamos à disposição de nossos países os esforços pastorais da Igreja para colaborar na promoção de uma cultura da honestidade que elimine a raiz de diversas formas de violência, enriquecimento ilícito e corrupção’. Em outras palavras, a igreja é um exemplo de honestidade. Aos ouvidos de muitos, a frase supracitada deve soar como pura prepotência irrefletida. Nenhum exame de consciência, nenhum pedido de perdão por tantas falhas cometidas durante séculos. Todos(as) sabemos que a igreja católica, na América latina, sempre conviveu tranquilamente com a violência (contra os povos originários do continente, contra os africanos), o enriquecimento ilícito (dos novos donos da terra) e a corrupção (dos estados colonizadores). O papa Bento XVI se emocionou quando entrou em Auschwitz, mas parece que não se emocionou quando entrou num continente onde a igreja católica apoiou o tráfico escravo de milhões de seres humanos durante séculos.

A cabeça ‘bem formada’ não rejeita o sonho, mas - depois de sonhar - calcula honestamente se há possibilidades para realizá-lo. É aí que o sapato aperta. Com a Mensagem de Aparecida entramos no terreno incerto (e perigoso) das afirmações gratuitas que podem esconder atitudes mais ou menos conscientes - o mais das vezes inconscientes - de superioridade moral. A história mostra com abundância de provas que são exatamente essas atitudes (inconscientes) que são sementes de fanatismo e violência. Quem não consegue enxergar valores além de seu mundo e afirma que tem algo a dar (sem mostrar concretamente o que) abre o caminho para o fanatismo. Convencida de sua superioridade, a Igreja de Aparecida corre o perigo de chegar a um resultado diametralmente oposto ao que ela se propõe. O que falta, de forma flagrante, é um estudo da realidade concreta da igreja católica no continente, com todas as suas complexidades. Sonhar sem calcular pode levar aos piores resultados.